Como a política pode afetar meu planejamento financeiro?

27 de novembro de 2020
Por Marden Rodrigues

2020 foi um ano de eleições municipais e com isso veio a preocupação em saber em quem votar. Mas, para além das pessoas que ocuparão esses cargos, você sabe dizer o que prefeitos e vereadores podem fazer? E mais, sabe dizer como que isso pode afetar a sua vida financeira? 

Se quer ter essas perguntas respondidas e se preparar, fique neste texto até o final 😊

Antes de tudo, o que prefeitos e vereadores podem fazer?

Prefeito é um agente do poder executivo e como o próprio nome diz ele executa as leis. Ele pode eventualmente sugerir uma ou outra lei, mas sua principal atribuição é executar as leis que já estão dadas. Sendo assim, podemos visualizar a figura do prefeito como um administrador (e é isso que a gente precisa procurar nele). É como se ele administrasse uma “empresa” mesmo, sabe? Onde há fontes de receita (dinheiro que é arrecadado dos impostos municipais) e restrições de orçamento.

 

Em geral, os municípios arrecadam bastante dinheiro. Só para você ter uma ideia, o Rio de Janeiro teve uma queda na arrecadação em 2020, mas o orçamento chegou à cifra de 28 bilhões de reais. Sendo assim, o prefeito que cruza os braços e não faz nada, não está fazendo o trabalho dele. Afirmar que, para resolver muitos dos problemas da população, seria necessário aumentar a arrecadação através dos impostos seria o mesmo que fugir de sua função, pois propor e aprovar novas leis não é atribuição do poder executivo e sim do legislativo, representado no âmbito municipal pela câmara de vereadores.

 

Os vereadores, portanto, são agentes do poder legislativo municipal. Eles legislam sobre tributos municipais, concessões de isenções ou benefícios fiscais e elaboram diretrizes orçamentárias. Apesar da função legislativa ser a que mais se destaca, vereadores também precisam fiscalizar a administração do município (ou seja, ficar de olho no prefeito) e demais outras funções mais administrativas como a fixação dos salários de seus servidores.

E o que isso tudo tem a ver com a minha vida financeira?

De uma forma mais direta, sabemos que a redução ou aumento de impostos afeta bastante nossa vida financeira.

Segundo o site do Impostômetro foram gastos 153 dias do ano de 2019 apenas para pagamento de impostos e até a data do dia 26/11/2020 já haviam sido arrecadados quase 2 trilhões de reais entre impostos federais, estaduais e municipais. Então realmente não dá para dizer que é algo irrelevante.

O ISS (Imposto Sobre Serviços), por exemplo, é um imposto municipal também conhecido como Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza. Apesar de não o virmos escancaradamente, ele está por toda parte, inclusive no cinema que frequentamos.

Agora… também poderíamos falar de impactos mais indiretos dessas eleições na nossa vida financeira. Imagine, por exemplo, o caso da educação. Se há mais creches e escolas públicas de qualidade, conseguimos equilibrar melhor nossas contas ao cuidar da educação dos filhos de maneira acessível. Se a saúde pública melhora e reduz a necessidade de pagar por um plano de saúde, conseguimos destinar esse dinheiro para outros aspectos da nossa qualidade de vida. Tudo isso faz parte da administração do prefeito e já é motivo suficiente para fiscalizarmos e votarmos de forma mais consciente.

Ainda há instalado em nossa cultura a ideia de “não gostar de política”. No entanto, viver é político. Querendo ou não, pessoas que sequer conhecemos impactam a nossa vida todos os dias através das decisões que tomam e papéis que assinam. 

 

Educação financeira, fiscal e política é assunto para todos e todas.

Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin