3 motivos para você criar agora um planejamento financeiro

  • 11 de maio de 2022
  • Por Clarissa Machado

Quem aí também faz com as finanças a mesma coisa que faz com a academia? “Segunda-feira eu começo”, “no mês que vem eu me organizo”, “deixa só passar esse final de semana” e muitas outras frases como essas são comuns em ambas as situações. E nós sabemos que quanto mais a gente adia, pior fica para dar o pontapé inicial, seja na academia ou na vida financeira mais saudável. Então, se quando o assunto é dinheiro, você é do time que tem procrastinado qualquer organização ou planejamento financeiro, confira três motivos para começar agora mesmo! 

1. Coloque a cabeça no travesseiro em paz

Você sabia que 85% dos brasileiros têm o sono afetado pelas dívidas? É o que mostra um estudo do Serasa, que mapeou ainda que o endividamento impacta na concentração no trabalho de 76% das pessoas. Diversos motivos levam a esse acúmulo de dívidas, como o desemprego, que foi o fator mais apontado pelos entrevistados dessa pesquisa. No entanto, o consumo sem planejamento também pode gerar esse endividamento.

 

Imagine que você ganha um salário de R$1.000, mas gasta R$1.200 no cartão de crédito: ainda que a fatura só vença no mês seguinte, o seu salário vai continuar sendo de R$1.000, então você já vai começar o novo mês devendo R$200. Além de comprometer sua renda futura, o uso desorganizado do crédito pode gerar uma bola de neve e te levar à inadimplência — ou seja, quando você possui uma dívida e não consegue honrá-la. Esse é só um dos exemplos de como a falta de planejamento financeiro pode tirar seu sono, então que tal começar agora a arrumar essa vida? Ainda que você já esteja no vermelho, nunca é tarde para organizar as finanças e ir se aliviando das dívidas aos poucos.

2. Consiga a famosa reserva de emergência

Se o seu carro quebrar no meio da estrada, naquele final de mês em que você nem tem mais limite no cartão de crédito, você conseguiria pagar o reboque? E se um encanamento da sua casa romper e inundar tudo, você conseguiria arcar com os custos do reparo? É para lidar com essas situações inesperadas, que geralmente acontecem no pior momento possível, que é muito importante que você tenha uma reserva de emergência, ou seja, um dinheiro guardado para esses imprevistos.

 

Talvez você já tenha ouvido falar que a reserva precisa cobrir de três a 12 meses dos seus gastos, mas isso depende do contexto de cada um. Se você mora de aluguel, por exemplo, esse gasto precisa estar previsto na sua reserva de emergência. Já se você tem uma casa própria, não terá essa preocupação. Se você for demitido de um emprego com carteira assinada, sem justa causa, você receberá benefícios como o fundo de garantia. Já se você for autônomo, sua reserva precisará contemplar a ausência desses benefícios.

 

Uma boa forma de entender como deve ser a sua reserva de emergência é justamente fazendo o seu planejamento financeiro. Ao colocar todos os seus gastos na ponta do lápis, você consegue visualizar aqueles que são indispensáveis como moradia, energia e alimentação, por exemplo. Assim, é possível mensurar quanto dinheiro você precisa ter guardado para dar conta desses custos, caso perca sua fonte de renda. Além disso, é importante pensar em um valor destinado aos imprevistos, como o carro quebrado e o encanamento rompido aqui exemplificados. Já se você está no vermelho, gastando mais do que ganha e sem dinheiro para começar uma reserva de emergência, o planejamento financeiro também funciona para você organizar a vida e conseguir alimentar sua reserva no futuro. Se organize e evite os perrengues!

3. Realize seus sonhos

A cada quatro brasileiros, ao menos um diz que o maior sonho de consumo é ter uma casa própria, segundo pesquisa do Instituto Locomotiva. O mesmo estudo diz ainda que viajar e comprar um carro são os outros dois maiores sonhos das pessoas. Os três desejos têm um ponto principal em comum: precisam de dinheiro para serem realizados. A melhor forma de conseguir tirá-los do papel é justamente fazendo um planejamento financeiro, para entender quanto da sua renda você consegue poupar para realizar esse sonho.

 

Se você pretende fazer uma viagem, por exemplo, pode guardar dinheiro por um tempo, para tentar conseguir descontos no pagamento à vista de passagens e hospedagens. Já se a sua intenção é financiar uma casa, pode ir poupando uma grana para dar uma entrada maior e reduzir o valor das parcelas. É muito importante começar a se organizar desde já, mesmo que no início você só consiga poupar um pouquinho. Isso requer certa disciplina, mas os resultados valem muito a pena. Lembre-se: o importante é sair do zero!

 

E aí? Conseguimos te convencer a começar a organizar suas finanças? Quando a gente pensa no que a gente pode conseguir com um pouquinho de planejamento, as desculpas até vão embora, né? Agora conta pra gente: quais são suas principais dificuldades na hora de criar um planejamento financeiro?

 

Spoiler: tem mais conteúdo sobre isso vindo aí no início da próxima semana 👀

Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin