Saque emergencial do FGTS: vale a pena pegar?

  • 20 de abril de 2022
  • Por Bruno Sousa

Começa hoje o “Saque Extraordinário” do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). A medida do Governo Federal surge em um momento de crise para o país e tem como objetivo reaquecer a economia. Segundo a Caixa, cerca de 42 milhões de trabalhadores com saldo em contas ativas ou inativas no FGTS vão poder sacar até R$ 1 mil. 

 

Em um momento de crise, com alta dos preços e endividamento da população, essa manobra pode ajudar a colocar as contas em dia ou a cumprir com necessidades básicas. Mas sacar o FGTS é realmente uma boa escolha? Preparamos esse texto para te mostrar os prós e contras dessa manobra.

O que é o FGTS?

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um benefício e direito do trabalhador garantido por lei e que muitos interpretam como uma “poupança forçada”, ou seja, um mecanismo que de forma automática faz com que os trabalhadores, independentemente do seu grau de organização financeira, consigam acumular dinheiro ao longo do tempo. Nela, todos os meses os empregadores depositam 8% do salário bruto de seus empregados em uma conta da Caixa Econômica Federal (CEF) no nome desse próprio funcionário. Vale ressaltar que o fundo só está disponível para funcionários no regime CLT e que esse valor não é descontado do seu salário, é uma obrigação de depósito a mais que o empregador possui.

 

O resgate deste fundo está associado normalmente a demissões de funcionários sem justa causa, mas pode ser acessado em casos de aposentadoria, doenças graves ou terminais, desastres naturais e aquisição de imóveis ou amortização de dívidas do mesmo. Com o chamado “Saque Extraordinário”, o Governo Federal pretende amenizar a crise econômica que afeta o país.

 

Todos os trabalhadores dentro do regime CLT poderão sacar até R$ 1 mil de suas contas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). De acordo com a Caixa Econômica Federal, o calendário de saques começa em 20 de abril e vai até 15 de junho, com o dinheiro ficando disponível até 15 de dezembro, quando voltará para a conta vinculada ao FGTS.

Para solicitar o saque extraordinário do FGTS 2022, o trabalhador terá de aderir ao novo saque-emergencial na sua conta do FGTS, pelo site www.fgts.caixa.gov.br, pelo aplicativo do fundo ou por meio do Internet Banking da Caixa.

Consumir, investir ou pagar dívidas: Vale a pena sacar o FGTS?

É tentador ver aquele valor disponível para saque e deixar passar, não é mesmo? Mas é extremamente importante entender em que momento da vida você se encontra e se é realmente necessário. 

Quando vale a pena?

Quitar dívidas – Caso você esteja com aquela conta importante em atraso, ou até mesmo em uma situação de inadimplência, ou seja, em que o endividamento está saindo do controle, e os R$ 1.000,00 ajudem a resolver ou amenizar essas situações, o Saque Extraordinário do FGTS é um ótimo recurso.

 

Aquisição de itens básicos – Em um momento de alta nos preços de itens básicos, como a alimentação e combustíveis, famílias em situação de extrema vulnerabilidade financeira podem fazer uso desse dinheiro para amenizar a situação; não é o cenário ideal, mas sabemos que quem tem fome tem pressa. 

O mesmo vale para aquisição de itens de primeira necessidade, como um fogão, geladeira, botijão de gás etc. Vale ressaltar que se você possui alguma linha de crédito que possibilite parcelar esses itens, é preferível, mas caso não, o saque do FGTS é uma opção.

 

Aplicação em investimentos seguros – Diferente de outros momentos da nossa história, também é interessante utilizar o valor de R$1.000,00 para investimentos conservadores ou moderados. Vivemos um momento de juros em alta onde a poupança e aplicações de renda fixa estão pagando mais que o FGTS. 

A recomendação por investimentos conservadores ou moderados visa manter o dinheiro com uma função parecida daquela que o FGTS desempenha, de poupança forçada, para que as pessoas possam manter a quantia em reservas de emergência ou em objetivos de longo prazo, como a obtenção da casa própria e aposentadoria

Quando não vale a pena?

Gastos supérfluos – Nessa categoria, precisamos, acima de tudo, de autoconhecimento e de bom senso. Torrar o saque com gastos desnecessários como a baladinha, carnaval, viagens não planejadas e aquelas comprinhas em sites de varejo podem ser evitadas. Vale lembrar que o FGTS funciona como uma poupança forçada, e esse valor retirado pode fazer falta lá na frente. Então, não faz sentido você abrir mão de um benefício futuro em prol de ‘gastar só porque pode gastar’ no presente.


Investimentos de risco – Ainda que não seja exatamente um erro, a utilização do dinheiro do saque emergencial do FGTS em investimentos mais arrojados deve vir junto de um bom grau de organização financeira e de um conhecimento mais apurado de “onde a pessoa está se metendo”. Em um momento em que as fraudes financeiras e as promessas de alto retorno e de baixo risco estão bombando, há de se tomar ainda mais cuidado na hora de investir o dinheiro, principalmente em opções que não entendemos exatamente como funcionam ou que não são regulamentadas.

Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin