Mais uma entrevista da nossa série #quemfazacontecer! Conheça a Anne!

10 de dezembro de 2020
Por Bia Santos

Oi Anne! Gostaríamos de saber um pouco sobre você antes de tudo. Conta pra gente qual foi sua trajetória pessoal e profissional até aqui?

Nascida e criada no Morro dos Macacos em Vila Isabel, ingressei no ensino superior após dois anos de cursinho pré-vestibular comunitário. Hoje estou finalizando meu curso de Pedagogia na Universidade Federal do Rio de Janeiro. Antes de ingressar na universidade, trabalhei um tempo com telemarketing, mas o curso de Pedagogia acaba exigindo muito dos alunos por conta dos estágios obrigatórios. Então ainda no início do curso precisei sair do trabalho e me dediquei totalmente à universidade e fui bolsista de grupo de pesquisa. 

Através desse grupo de pesquisa, fui convidada para fazer um intercâmbio acadêmico em uma universidade nos Estados Unidos. Passei 1 ano estudando e pesquisando sobre educação e relações raciais na Wayne State University em Detroit, Michigan. Sem dúvidas foi a melhor experiência da minha vida!

Como você chegou à Barkus?

Quando voltei do intercâmbio já havia acabado os estágios obrigatórios e por isso me sobrava um pouco mais de tempo e precisava trabalhar. Foi então que uma amiga me marcou em um post da Bia no Facebook. Nesse post, a Bia explicou os diferenciais da vaga e me vi ali pois estavam procurando mulheres negras.

Lembro que fui para a entrevista com muito medo pois a educação financeira ainda não estava presente na minha vida. Me garanti nos meus conhecimentos pedagógicos e fui. Na segunda fase do processo precisei montar um plano baseado nos temas selecionados. 

Apresentei o plano para essa equipe maravilhosa e cá estou eu. Desde aquele momento da apresentação, já pude sentir o ótimo clima que está presente na Barkus.

Como você se sente sendo parte da equipe da Barkus?

A Barkus é sem dúvidas diferente de qualquer ambiente profissional que eu já conheci. O desafio de mergulhar em um tema que até então era super estranho, ficou mais leve com a ajuda de toda equipe. A parte pedagógica eu já conhecia, mas também aprendi no meu curso que ser professor é isso: estudar para produzir. Aquele estranhamento do inicio já acabou faz tempo. Hoje me sinto parte da família, livre para pedir ajuda e compartilhar as dificuldades do dia a dia e consigo me ver crescendo no mundo da educação financeira.

Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin