Reserva Financeira: Qual é a importância e os tipos?

12 de março de 2020
Por Nath Dumit

Você tem alguma reserva financeira ou vive como se não existisse o amanhã? Está na moda viver o presente sem pensar no futuro? Eu tenho uma boa (ou seria má?) notícia: Provavelmente o futuro vai chegar! hahahaahaha 

Saber administrar o seu dinheiro é muito importante para que você não passe por sufocos ao longo da sua vida.  Acredite, essas são as palavras de quem já passou por alguns! Além disso, uma das melhores maneiras de evitar esses tipos de perrengue, é fazendo uma reserva financeira. Na verdade, porque fazer uma quando você pode fazer várias, não é mesmo? 

Me acompanha aqui no texto para entender os tipos de reserva financeira e a importância delas para a sua vida. 

Qual é a importância de fazer uma reserva financeira?

Se você chegou até a Barkus, é porque provavelmente quer mudar algo na sua vida financeira.  Sabia que os planejadores financeiros (como eu #metida) recomendam que, antes de começar a investir, você tenha pelo menos uma reserva financeira (geralmente a de emergência) ? Ademais, existem vários outros tipos de reserva.

Vamos ajudar você a entender cada uma delas e a organizar direitinho as suas finanças. Convenhamos, qualquer motivação para guardar dinheiro é sempre bem-vinda né? Então se liga nas dicas que vamos dar!

Tipos de reserva

Muita gente faz uma reserva financeira, pensando apenas em emergência e no futuro, sem ter nada em mente. Porém, é muito mais seguro, e até mesmo fácil, você separar as suas reservas de acordo com os seus objetivos.

Quando você se acostuma a guardar o seu dinheiro, pensando já no seu propósito, você se torna uma pessoa mais organizada. Com isso, os objetivo ficam cada vez mais próximo, e isso traz um bem estar imenso. Assim, acaba sendo muito mais fácil administrar as suas finanças, e se torna também uma motivação se dedicar a esse processo.

 

Reservas de Emergência 

Bom, o nome já é autoexplicativo. A reserva de emergência deve ser feita para qualquer imprevisto que aconteça na sua vida. Vamos supor que você perca o seu emprego, você deve ter como se manter até conseguir outro, certo? Ou até mesmo, outros imprevistos, como problemas na casa, no carro ou no celular. Pois é, para isso você faz uma reserva de emergência. O ideal é guardar um dinheiro que consiga te sustentar por pelo menos 6 meses.

Esse dinheiro, você deve investir em aplicações de baixo risco. Afinal, em momentos de emergência, você deve conseguir retirar o seu dinheiro de uma hora para a outra. O recomendado é que esse dinheiro fique em uma aplicação de liquidez diária, como tesouro selic e alguns CDBs. Lembrando que essas aplicações têm um horário limite de resgate e só podem ser feitas em dias úteis. Ou seja, se você pedir o resgate na sexta feira depois das 18 horas, o dinheiro cairá na sua conta apenas na segunda feira.

 

Reserva de urgência

A essa altura do campeonato, você deve estar se perguntando: mas Nath, e se for um problema que precise ser resolvido imediatamente, que não dá para esperar 3 dias para ser pago?

Aí temos a reserva de urgência. Sempre dou o exemplo do meu namorado, que quebrou o pé na véspera de Natal, fora totalmente do expediente de resgate de investimentos. Ele não tem plano de saúde e precisava pagar a consulta, o raio-x e o gesso ali na hora, não dava simplesmente para aguardar até o dia 26.

Para esse caso, sugerimos aplicações de resgate imediato, como a NuConta (na opção RDB, que é protegida pelo Fundo Garantidor de Crédito) e até mesmo a poupança do seu banco. 

 

Reserva de Oportunidades

Assim como você deve estar preparado para qualquer imprevisto negativo que aconteça, é sempre bom também estar preparado para boas oportunidades. 

Já imaginou achar aquela passagem aérea em promoção e não ter dinheiro guardado para isso? Costumo dar o exemplo de uma amiga minha, que comprou passagens de ida e volta para a Hungria, por R$600 (costuma ser mais de R$2000!!). Outro exemplo é aparecer para você uma excelente oportunidade de crescimento na carreira e de investimento? Você vai deixar passar por falta de organização e por não ter guardado dinheiro? 

Por isso, uma das reservas mais importantes é a de oportunidades. Em geral, ela é feita para ser gasta a curto prazo, e não há um cálculo certo do valor que você deve deixar lá, pois depende do seu padrão de vida.  O recomendado é que você invista esse dinheiro em aplicações similares ao da reserva de urgência.

 

Reserva de Aposentadoria 

Muita gente trabalha para finalmente atingir a independência financeira. Mas, quando falamos de independência financeira, não estamos falando de não depender mais dos seus pais. Isso esperamos que você consiga bem mais brevemente, hehehe. Estamos falando de ter dinheiro investido e conseguir se manter, independentemente do seu salário. Ou seja, é ter uma renda passiva, um dinheiro que você recebe mesmo sem precisar trabalhar por ele. 

Para ter essa reserva, você deve entender que deve construí-la ao longo da sua vida. Para isso, você deve guardar dinheiro todo mês.  Entretanto, muita gente acha impossível chegar em um montante de dinheiro que seja o suficiente para ficar sacando e durar até o fim da vida. Mas aí que está o pulo do gato: você irá sacar apenas os juros rentabilizados daquela aplicação, e não do montante total. Posteriormente, vou ensinar a vocês como fazer esse cálculo. #dinheiroinfinito

Para esse tipo de reserva, indicamos um mix de investimentos: na fase de acumular o montante, recomenda-se aplicar o dinheiro em algo que seja corrigido pela inflação, como o Tesouro IPCA+. Na fase de resgatar os juros, pode-se aplicar o montante no Tesouro Selic, que tem liquidez diária.

 

Reserva de Objetivos

Essa reserva, muita gente acaba não fazendo, mas dependendo de como você controla o seu dinheiro, pode ser muito útil. É aquela reserva específica, que não tem tempo certo, pois depende de qual é o seu objetivo. Por exemplo, você sonha em fazer uma viagem que demanda muito dinheiro? Ou então, quer fazer um mestrado fora, comprar uma casa ou um carro? Pode ser uma boa ideia fazer uma reserva para o seu objetivo. Isso pode fazer com que seja mais fácil atingi-lo. 

Caso você já tenha ideia de quando pretende usar esse dinheiro, vale a pena colocar a grana em aplicações de renda fixa com datas de vencimento pré definidas, como LCI, LCA, LC, CDBs e Tesouro IPCA+.

Conclusão 

Fazer uma reserva financeira é apenas uma sugestão, mas tenho certeza que agora você já está pensando nisso.  Afinal, é uma ótima maneira de garantir um bom futuro, e de evitar situações extremas e de necessidade. Você precisa apenas saber controlar e administrar bem o seu dinheiro.

E ai, curtiram o texto? Comentem suas experiências com reservas financeiras! 

Compartilhe esse conteúdo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin